49 99177-1178   contato@pedrosaprevidencia.com.br

CONTATE O ESCRITÓRIO ONLINE!

DÚVIDAS - Decreto

  • Vilson Pedrosa
  • 18 de junho de 2019

POLICIAL PODE PRESTAR SERVIÇO DE SEGURANÇA PRIVADA?

Hoje vou responder uma questão enviada pelo vigilante Sérgio Curtis: Agente de segurança pública pode prestar serviços de segurança privada?

Vamos à questão enviada pelo Sérgio:



"PEDROSA gostaria de saber o seguinte: porque o agente de segurança pública pode prestar serviços de segurança privada, e o agente de segurança privada não pode trabalhar de forma autônoma, assim como outras profissões que você paga para adquirir o conhecimento e colocar isso em prática exercendo a profissão escolhida?"



Questão densa do Sérgio Curtis. Em resumo ele pergunta por que policiais podem fazer serviços da segurança privada e o vigilante não pode trabalhar de forma autônoma, já que pagou pelo conhecimento como outros profissionais.

A Lei 7.102/83 regula o funcionamento das empresas de segurança privada, a segurança dos bancos, o transporte de valores e a profissão do vigilante. A atividade de segurança privada é uma concessão do Estado para as empresas autorizadas, que fazem por meio do profissional vigilante.

 

Esta função é de tanta e extrema importância que é controlada, fiscalizada e normatizada pela Polícia Federal. Não é para qualquer um e não  pode ser feita de qualquer jeito.


Neste sentido o vigilante não pode prestar serviço autônomo porque a segurança privada só ocorre por meio de empresa autorizada.

 

Com a distinção legal entre segurança pública e segurança privada, agente de segurança pública não pode realizar serviços de segurança privada. Se fizer estará cometendo a contravenção penal de "exercício ilegal da profissão", porque o vigilante é uma profissão regulamentada.

 

O vigilante também não pode realizar ações de segurança pública. Se fizer estará cometendo o crime de "usurpação da função pública."

 

O que mais vemos no dia a dia são as seguintes irregularidades:



a) pessoas sem curso de vigilante trabalhando, principalmente em eventos;
b) empresas não autorizadas vendendo serviço de segurança;
c) policiais realizando serviços de escolta, transporte de valores, segurança pessoal e de vigilância. 
d )empresas autorizadas que "esquentam"  outras empresas não autorizadas, por meio de franquia da marca.

Isso só será alterado com a mudança da lei 7.102/83 por meio do Estatuto da Segurança Privada que comentaremos em breve.



Gostou desta informação?

Compartilhe nos grupos e promova o debate!

 

 

Tem alguma questão ou alguma dúvida?

Faça como o Sérgio, envie sua pergunta usando o escritório on line através do link:

http://2a901a6.contato.site/escritorio-online




Saúde e prosperidade para você!

Forte abraço!


Pedrosa
 


Veja também:

 

https://www.pedrosaprevidencia.com.br/post/51/reforma-da-previdencia-e-a-desvalorizacao-do-profissional-vigilante


https://www.pedrosaprevidencia.com.br/post/42/peticao-em-defesa-da-aposentadoria-especial-do-vigilante


https://www.pedrosaprevidencia.com.br/post/55/o-sindicato-esta-me-cobrando-mensalidade-mas-nao-sou-vigilante-sindicalizado-o-que-fazer




Entre em contato conosco pelo nosso e-mail: contato@pedrosaprevidencia.com.br
Deixe sua opinião nos comentários do post,
Inscreva-se no Canal do Youtube da Pedrosa Previdência ou
Curta nossas publicações no Instagram e na nossa Fanpage!

 

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS


Fale Comigo!
WhatsApp

Receba novidades

Canal do Youtube

 

Instagram

/Pedrosa Previdência

Curta Nossa Página